HDT garante certificação ONA 2 pela terceira vez

Manutenção do selo de qualidade pela unidade do Governo de Goiás é confirmada durante visita presencial de avaliadores do Ibes

Com avaliadoras do Ibes em visita ao HDT, gestores da unidade celebram manutenção do selo

O Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT), unidade do Governo de Goiás,  recebeu nos últimos dias 26 e 27 de outubro, terça e quarta-feira, respectivamente, visita presencial dos avaliadores do Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (Ibes), instituição acreditadora credenciada à Organização Nacional de Acreditação (ONA), na qual foi confirmada a certificação nível 2, ou seja, acreditado pleno.

Essa é a terceira avaliação que o Ibes realiza no HDT desde a conquista do nível 2, para verificar se o hospital continua cumprindo os requisitos necessários para a manutenção do certificado de qualidade. A acreditação é um método de avaliação e certificação que busca promover a qualidade e a segurança da assistência no setor de saúde.

Para a coordenadora do setor de gestão da qualidade, a enfermeira Patrícia de Fátima, a manutenção do selo de qualidade mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia reforça o compromisso do hospital com seus pacientes.

“O HDT, desde sua criação, sempre colocou o paciente em primeiro lugar. Sempre prezamos pela qualidade e segurança do atendimento, sem contar que já fazia parte do ‘DNA’ da instituição a humanização e integralidade da assistência. Por meio do trabalho coletivo de todos os funcionários da unidade, mesmo em tempos tão difíceis que vivemos de Covid-19, obtivemos uma grande conquista”, celebrou a coordenadora.

Segundo o diretor-geral, Bruno Almeida, a certificação é uma chancela de tudo o que é praticado no dia a dia da unidade. “Muito mais do que um selo ou um certificado, é a certeza de que estamos no caminho certo na busca das melhorias contínuas, e principalmente no cuidado do nosso paciente”, disse.

Critérios da acreditação
Para ser acreditada nível 2, a organização precisa atender aos padrões definidos pela ONA, reconhecidos internacionalmente, segundo dois critérios:

- Cumprir ou superar, em 80% ou mais, os padrões de qualidade e segurança.

- Cumprir ou superar, em 70% ou mais, os padrões de gestão integrada, com processos correndo de maneira fluida e plena comunicação entre as atividades.

Igor Guimarães (texto e foto)/ISG

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.