Ginástica laboral transforma rotina de colaboradores no Herso

Exercícios promovem o bem-estar de funcionários da unidade do Governo de Goiás em Santa Helena, impactando positivamente a assistência aos pacientes

Colaboradores do Herso fazem alongamento em uma das sessões de 15 minutos, três vezes por semana

Colaboradores do Hospital Estadual de Santa Helena de Goiás Dr. Albanir Faleiros Machado (Herso) podem, três vezes na semana, participar de sessões de ginástica laboral. O número de sessões poderá ser expandido de acordo com a quantidade de participantes. A iniciativa é do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), em parceria com a equipe de fisioterapia da unidade do Governo de Goiás na região sudoeste.

As sessões são realizadas em local aberto, obedecendo as medidas de segurança contra a Covid-19 e têm duração de 15 minutos, de modo que não prejudiquem o trabalho dos participantes. O objetivo da oferta dos exercícios é reduzir os índices de dor articular, cuidando do bem-estar daqueles que cuidam dos pacientes. O coordenador do serviço de fisioterapia do Herso, Fernando Cabral, é quem ministra os exercícios e destaca que a aceitação tem sido boa. 

“Além das expressões corporais, os colaboradores também têm se divertido com as sessões e relatado melhora de dores. Como fisioterapeuta, vejo que as pausas e os alongamentos durante o expediente previnem quedas e a ocorrência de inflamações e tendinites, por exemplo, além de criar uma memória corporal e ajudar na manutenção do equilíbrio”, ressaltou.

Fernando acredita que o cuidado com os colaboradores impacta diretamente no atendimento aos pacientes. “Beneficiar o usuário é nosso principal intuito. Se o trabalhador está sendo cuidado, ele transmite satisfação e prazer aos usuários”, opinou.

A auxiliar de coleta Ana Maria Vieira tem participado das sessões com frequência e aprovou a iniciativa. “Venho toda feliz quando avisam que vai começar, estou achando ótimo. O nosso dia a dia é muito corrido e, muitas vezes, a gente não tira um tempo para cuidar da gente. Estou me sentindo melhor, com menos dores e trabalhando com mais disposição”, concluiu.

Myla Alves (texto e foto)/IPGSE

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.