Crer automatiza processo e reduz em mais de 87% o tempo para realizar o inventário da instituição

Projeto de melhoria foi implantado na unidade do Governo de Goiás e garante economia orçamentária e agilidade na realização do levantamento de bens patrimoniais no hospital.

Garantir agilidade no cumprimento das atividades diárias, primar pela qualidade das entregas e desenvolver processos cada vez mais inteligentes são alguns dos benefícios da automação. Com foco nisso, o Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo - Crer, uma unidade do Governo de Goiás, automatizou o Processo de Inventário de Bens Patrimoniais da instituição, implantando o uso do leitor de códigos de barras como ferramenta de apoio.

Conduzido pela Gerência de Infraestrutura e Manutenção do hospital, por meio da Supervisão de Patrimônio, o projeto de melhoria passou por fase de testes. O levantamento patrimonial foi realizado em um mesmo setor de forma manual e com o uso do leitor de código de barras. Ao final do evento teste, constatou-se uma redução média de 87,5% no tempo de realização da tarefa e de 50% na alocação de mão de obra para a execução do serviço.

"Esta inovação trará celeridade e confiabilidade no processo de inventário do hospital, evitando-se o retrabalho. O uso da tecnologia reduzirá o tempo do levantamento, permitindo aos profissionais realizar outras atividades de melhoria do setor", explicou o gerente de Infraestrutura do Crer, Maurício Ertner Almeida. Atualmente, o Crer conta com 13.695 bens patrimoniais, que passam por levantamento uma vez ao ano. Segundo o supervisor de Patrimônio da instituição, Ismael Santos Alves, o inventário patrimonial de 2022 será realizado em sua totalidade com o uso da ferramenta de apoio.

"O inventário dos bens patrimoniais é a principal entrega do setor de Patrimônio, considerando a quantidade de objetos a serem verificados. Sem o auxílio do recurso tecnológico, esse trabalho era realizado, em média, durante oito meses. Agora, com o uso da ferramenta de apoio, o ganho institucional é comprovadamente substancial. Neste primeiro momento iremos preparar as identificações dos equipamentos para que em 2022 possamos realizar o inventário em tempo consideravelmente inferior ao praticado atualmente", explicou o supervisor de Patrimônio do Crer, Ismael Santos Alves.

O trabalho de levantamento e atualização do inventário de bens patrimoniais no Crer é dividido nas seguintes etapas: conferência in loco dos bens, conciliação com o que está registrado no sistema, atualização da distribuição e responsabilização dos bens em seus respectivos setores e o tratamento individual de casos adversos.

Texto: Rafaela Bernardes
Foto: Mayara Varalho

 

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.