Saúde mental será debatida em Jornada Científica do Governo de Goiás

Estados e municípios começam a reabrir por conta da baixa nos números de contágio e mortes por Covid-19, no entanto, os profissionais que atuam na linha de frente no combate à pandemia continuam com a saúde mental afetada. Segundo relatório da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EAESP) em colaboração com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) publicado no final de setembro, apenas 30% deles dizem ter recebido algum tipo de apoio para cuidar da saúde mental.

O relatório apresenta dados obtidos por meio de enquete online realizada com 935 profissionais de saúde atuando na linha de frente de combate da Covid-19 entre os dias 1 e 31 de julho de 2021. Ele faz parte de uma série de relatórios realizados pelo Núcleo de Estudos da Burocracia (NEB-FGV), em parceria com a Fiocruz e a Rede Covid-19 Humanidades ao longo de 2020 e 2021, para compreender as percepções destes profissionais sobre suas condições de trabalho durante a pandemia de Covid-19.

O resultado encontrado reforça a percepção de que esses profissionais seguem em uma situação precária e difícil. Uma das dificuldades é ter que conviver com o medo, que afeta uma parcela significativa (83,4%) dos profissionais de saúde da linha de frente. Segundo o relatório, é bem possível que, apesar de 98,5% estarem já vacinados com ao menos a primeira dose, esse sentimento possa ter relação com o alto percentual de colegas de trabalho contaminados pela doença.

A sensação de despreparo para lidar com a Covid-19, mesmo depois de quase um ano e meio de convívio com a pandemia, também afeta quase metade dos profissionais de saúde, ainda que com intensidades desiguais a depender da formação e atuação.

Além disso, a maior parte dos entrevistados (81,6%) relatou ter percebido um impacto na sua saúde mental, taxa que se apresentou de maneira regular entre as diversas profissões analisadas. Apenas uma parcela pequena destes trabalhadores recebeu algum tipo de apoio para o autocuidado. A categoria que menos recebeu esse apoio foi a dos agentes comunitários de saúde (ACS), com 14%.

Saúde mental em debate

Diante da relevância do tema, a 5ª Jornada Científica do Governo de Goiás realiza uma mesa virtual com foco na saúde mental do trabalhador e pesquisador da saúde, com o médico Leonardo da Silva Prestes e a vereadora Cristina Lopes Afonso.

O primeiro convidado vai discutir os “Impactos psicológicos da pandemia nos profissionais de saúde e população em isolamento”. Dr. Leonardo é neurologista, membro titular da Academia Brasileira de Neurologia; psiquiatra, especialista em psicoterapia pela Associação Brasileira de psiquiatria; coordenador do ambulatório de neuropsiquiatria do Hospital Dr. Alberto Rassi (HGG) e mestre em Medicina Tropical e Saúde Pública pela Universidade Federal de Goiás. A vereadora Cristina conduzirá o tema “Saúde física no home office”, durante a pandemia da Covid-19.

Os sistemas de informação em saúde no Brasil: dos boletins às fake news; a modernização da vacina e o impacto da COVID-19 no desenvolvimento das tecnologias de ciência e pesquisa; e o impacto da COVID-19 na educação em saúde no Brasil são temas que também serão discutidos durante o evento.

Em sua 5ª Edição, a Jornada já conta com mais de 150 inscritos. Além das mesas virtuais de debates, o evento vai contar com a apresentação de trabalhos científicos que foram submetidos a uma comissão avaliadora, de acordo com critérios estabelecidos pelo edital que regulamenta a Jornada.

Para se inscrever, basta acessar a página do evento clicando AQUI.

PROGRAMAÇÃO DAS MESAS VIRTUAIS – JORNADA CIENTÍFICA DA SES-GO

Mesa virtual 1: A modernização da vacina e o impacto da COVID-19 no desenvolvimento de tecnologias de ciência e pesquisa

Dr. Célio Lopes Silva (USP – Ribeirão Preto): Os desafios no processo de desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus.

Dra Ana Paula Junqueira Kipnis (IPTESP-UFG): O processo de desenvolvimento de vacinas e expectativas para o futuro

Mesa virtual 2: Os sistemas de informação em saúde no Brasil: dos boletins oficiais as “fake news”

Dr Alexandre Meyer Luz (UFSC): A Filosofia das Fakes News: Verdade, Conhecimento e Poluição Informacional"

Pedro Henrique Ferreira (COMSET/SES-GO): Os desafios no desenvolvimento de peças comunicacionais sobre a Covid-19 em Goiás

Mesa virtual 3: Saúde mental do trabalhador e do pesquisador na área da Saúde

Dra Cristina Lopes Afonso (ESEFFEGO/UEG): Saúde física no home-office durante a pandemia de Covid-19:

Dr Leornardo da Silva Prestes (HGG) Impactos psicológicos da pandemia nos profissionais de saúde e população em isolamento

Mesa virtual 4: O impacto da COVID-19 na educação em saúde no Brasil: o desenvolvimento de novas metodologias e ferramentas de ensino-aprendizagem

Dr Alaim Souza Neto (UFSC): FORMAÇÃO, CURRÍCULO E ESCOLA: Os desafios da integração das tecnologias em contextos educativos formais.​

(Fonte: Agência Bori)
Por Gabriela Dutra, da Superintendência da Escola de Saúde de Goiás

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.