Residentes do Hugo participam de treinamento em atendimento pré-hospitalar

Capacitação aborda as três etapas do atendimento: o feito pelo profissional, o realizado no leito e o que ocorre em situação sem recurso, no qual o profissional faz a diferença entre a vida e morte do paciente

Enfermeiro e instrutor do Samu, Cleidomar Ferreira ministra capacitação aos residentes do Hugo

Os residentes multiprofissionais do Hospital de Urgências de Goiás Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) receberam, nesta terça-feira (16/8), um treinamento sobre atendimento pré-hospitalar, no auditório da unidade. A capacitação foi conduzida pelo enfermeiro e instrutor do Núcleo de Educação Permanente do Samu Goiânia, Cleidomar Ferreira dos Santos.

A capacitação abordou sobre o primeiro atendimento, o contato do profissional de saúde com a vítima. Foi explicado sobre as três etapas do atendimento: o feito pelo profissional, o realizado no leito e o que acontece em situação sem recurso, denominado de meio de fortuna, no qual o profissional faz a diferença entre a vida e morte do paciente.

O instrutor lembrou frase de um médico do exército de Napoleão, no ano de 1930: "O primeiro curativo faz a diferença na vida da pessoa". A fala dá sentido ao atendimento pré-hospitalar, e a aula foi reportada  com base nisso. Foi um treinamento com metodologia ativa, o que permitiu que os residentes interagissem com aula e assimilassem a realidade, a prática e a teoria.

De acordo com Cleidomar, a capacitação proporciona aos residentes uma bagagem sobre o atendimento pré-hospitalar. Para o instrutor, as universidades ainda não estão preparadas para esse atendimento, pois as ementas curriculares ainda são pobres no assunto.

Atendimento pré-hospitalar
Dessa forma, continua Cleidomar, foi possível, com a aula, trazer para os residentes multiprofissionais do Hugo uma vivência sobre o tema, o que possibilita que ele comece a entender com propriedade sobre o atendimento pré-hospitalar, que no caso de pacientes graves, pode ser o diferencial entre a vida e a morte

A ideia do treinamento é promover a proposta de educação em saúde da unidade e fazer com que os residentes propaguem esse conhecimento. É importante que eles tenham esse tipo de aprendizado, pois apesar de serem profissionais de saúde na faculdade, não é sempre que eles têm contato com o hospital. Muitas vezes, esse aprendizado não faz parte da grade curricular.

Para formação na residência no Hugo, a aula é uma forma de expandir o conhecimento, sair do ambiente restrito da área em que trabalham dentro da assistência e proporcionar uma bagagem que possibilite que eles saibam como agir e entender o processo, caso tenham contato com um paciente politraumatizado.

Julianna Adornelas (texto e foto)/Instituto CEM